Follow by Email

domingo, 16 de setembro de 2012

O meu 15 de Setembro

Os dias de chumbo podem ser também dias de esperança. O povo de Abril e Maio, ao alcance dum like e acossado pelo provocatório anúncio de ataque à sua dignidade, silenciosamente retomou as ruas que são suas, onde nascem e caem governos, onde a luta pode ser festa e novas madrugadas excepcionais e límpidas podem renascer, 38 anos depois de num dia diferente ali termos estado, num exorcismo colectivo.
Dizem que é a 15 de Setembro que nascem mais crianças em Portugal. A 15 de Setembro nasceu a consciência de que há limites para a displicência, que o povo não são números em folhas de excel nem está disposto a ser o bombo da festa neste número na pantomina dos títeres da "ajuda externa". Algumas imagens:










Sem comentários:

Enviar um comentário