Follow by Email

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Beckford, um pigmaleão em Sintra



Em 1787,o milionário e dandy inglês William Beckford, proscrito de Inglaterra por amores proíbidos instalou-se em Portugal, tendo no seu Diário, publicado em 1954 dedicado largas páginas aos episódios aqui vividos. Desde proscrito pelo embaixador inglês Walpole,que o desprezava pelo seu passado promíscuo, até á amizade com os marqueses de Marialva,que com ele quiseram casar uma filha(embora ele preferisse o filho...)em clima byroniano podemos situar a presença do "louco de Fonthill" em terras de D.Maria I, suas relações com D.Diogo,5º marquês de Marialva e estribeiro-mor do Reino, as vilegiaturas no Ramalhão e em Monserrate(onde viveu numa das três viagens a Portugal).
Autor de"The history of the caliph Vatek",publicado em 1786,Beckford,pela sua vida diletante e pecaminosa é daquelas figuras proscritas e amadas simultaneamente, pela evocação da luxúria e excessos.
O pai fora duas vezes mayor de Londres, e era um dos mais ricos homens de Inglaterra. Beckford, falante de sete línguas, tivera uma educação esmerada, e não fora os amores pecaminosos com William Courtenay (apesar de ter casado e tido duas filhas) e nunca teria deixado a fechada sociedade inglesa, de onde esteve afastado durante mais de 10 anos, vários dos quais residiu em Portugal, e em Sintra em particular.
Beckford/Vatek foi pois um pigmaleão mutante, dandy viajado, "o forasteiro rico", como entre nós ficou conhecido, e que no passeio de dia 4 por S.Pedro não deixaremos de evocar, como figura destacada num Portugal provinciano do pós terramoto nas vésperas das invasões napoleónicas. Da sua passagem por Portugal deixou William Beckford um rasto de amor proibido pelo então imberbe filho do Marquês de Marialva, D.Diogo Vito, o jovem D.Pedro José Vito de Meneses Coutinho.
Tal filho, e 6º marquês de Marialva e 8º de Cantanhede, seria cadete quando Beckford passeava pelo Esponjeiro, e progrediu na sua carreira de cavalaria, sendo em 1801 coronel do Regimento de Cavalaria de Mecklemburgo. Depois da invasão por Junot fez parte da delegação enviada a França para cumprimentar Napoleão, e mais tarde, como embaixador em Paris negociou o casamento de D.Pedro IV com a arquiduquesa Maria Leopoldina. Morreu novo, solteiro e sem descendência.Vícios privados, públicas virtudes...

Sem comentários:

Enviar um comentário