Follow by Email

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Cogumelos de Sintra


Durante um ano e meio o professor Baptista Ferreira com a colaboração da bióloga Sofia Gomes calcorreou os parques de Sintra em busca dos fungos e do seu lado mais visível, os cogumelos. Encontraram 156 espécies, 17 das quais registadas pela primeira vez em Portugal. Um escuro, que mal se vê entre as folhas, pode ser um peziza saniosa, e é um dos registos novos para Portugal encontrados por Baptista Ferreira; outro, em forma de taça, e cor laranja viva, poderá ser uma aleuria aurantia; os mais clássicos, com chapéu muito redondo e a zona por baixo, onde estão os esporos, de consistência esponjosa são, em princípio, boletos, muito apreciados pelo seu valor culinário. Um livro agora editado pela Parques de Sintra-Monte da Lua dá uma série de pistas que permitem identificá-los com algum grau de segurança. Apesar de só na sequência deste trabalho ter sido feito o seu registo em Sintra (o livro identifica 65 espécies registadas pela primeira vez naquela zona), o facto é que o mais assassino de todos os cogumelos, o amanita falóide, existe por entre o arvoredo dos jardins e na serra. Alguns podem ter crescido formando um círculo, que é chamado de roda de bruxas, outros são pequenos tufos que lembram mais corais do que cogumelos.
Os cogumelos são um recurso natural sustentável, e em Portugal há variedades de muito boa qualidade. O problema é que as fábricas de transformação (embalamento, etc.) que existiam passaram para o lado espanhol, e não se está a aproveitar aquilo que poderia ser uma mais-valia. Muitas vezes estes cogumelos acabam a ser vendidos, por exemplo em Itália, como produto do país. Uma coisa que pode ajudar será a certificação dos futuros apanhadores. E depois há, claro, a cozinha. Costumava chamar-se aos cogumelos a carne dos pobres, mas hoje há muitas hipóteses de os apresentar como cozinha gourmet e até como uma nova fileira de produtos da região. Uma sugestão de leitura e de passeio, à descoberta dos cogumelos de Sintra.


Sem comentários:

Enviar um comentário