Follow by Email

quinta-feira, 6 de junho de 2013

Uma justa homenagem a Lino Pires


O português Lino Pires vai receber hoje da rainha Isabel II, a Medalha do Império Britânico, pelos serviços prestados à comunidade onde vive e ao Royal Marsden Hospital. É o primeiro português na Inglaterra a receber esta comenda.
Conheço o senhor Lino Pires de Sintra, tendo com ele estado várias vezes, recordando em especial uma noite em que com minha mãe e a sua esposa jantámos no “seu” Hotel de Seteais, onde começou a sua carreira na hotelaria e em 1958 serviu a princesa Margarida, de Inglaterra. Um ano antes, já tinha trabalhado na recepção à rainha Isabel II, no Palácio de Queluz. Recordo-o sempre como um gentleman beirão, português da diáspora, proprietário nos anos 90 de uma propriedade na Praia Grande com uma vista soberba sobre o Atlântico, que nas suas vindas a Portugal fazia sempre gosto em visitar os amigos e com eles confraternizar.
Lino Pires vive desde os anos 60 em Priors Hardwick, município de Southam, a cerca de 150 quilómetros de Londres, e foi ali que há 40 anos comprou o Butchers Arms, na altura um simples pub que Lino e a esposa, D.Augusta, já falecida, tornaram num dos mais afamados de Inglaterra. Lino Pires é também reconhecido pelas inúmeras acções de solidariedade que desenvolveu e desenvolve ainda,  desde as obras da igreja local ou o apoio que deu a instituições, como a NSPCC (que combate os maus tratos infantis), a Motor Neurone Disease Association (que trabalha junto dos portadores de doenças nouro-motoras) ou a Cruz Vermelha Britânica, organismos para os quais já doou cerca de 100 mil libras. Durante duas décadas, duas vezes por ano, abria ao público o imenso jardim da sua casa de Priors Hardwick, que algumas vezes me convidou para visitar, um jardim com dois hectares que deu inclusive um programa na BBC, o qual na altura me enviou numa cassete de VHS.
Além destas acções de solidariedade, foi também a doação de 260 mil libras ao Royal Marsden Hospital, em Surrey que justificaram a atribuição agora da Medalha do Império Britânico. O processo que levou à sua escolha iniciou-se com a candidatura apresentada por um morador da vila, acompanhada por testemunhos escritos de centenas de pessoas a comprovar as acções que realizou, entre as quais membros do Parlamento britânico e da Câmara dos Lordes, como Nigel Lawson, ex-chanceler de Margaret Thatcher.
Em 1997, a equipa médica do Royal Marsden Hospital, liderada pelo doutor Cummings, conseguiu debelar a doença cancerígena que havia sido diagnosticada a Peter, filho de Lino Pires. Como agradecimento, decidiu que iria reunir a maior verba possível e doá-la ao hospital, que desenvolve um importante projecto de investigação na área do cancro. Em 2002, Lino Pires lançou uma auto-biografia para, como explica o prefácio, apoiar o hospital: todo o dinheiro proveniente da venda dos livros foi revertido para o Royal Marsden Hospital.
Um reconhecimento justo a um português em terras de Sua Majestade.

Sem comentários:

Enviar um comentário