Follow by Email

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Dez pecados de Sintra em Dia Mundial do Ambiente

O Dia Mundial do Ambiente é todos os anos celebrado a 5 de Junho, e foi criado pela Assembleia Geral das Nações Unidas na resolução (XXVII) de 15 de Dezembro de 1972 com a qual foi aberta a Conferência de Estocolmo, na Suécia, cujo tema central foi o Ambiente Humano. Elevado a direito nas últimas décadas, o direito a um ambiente limpo e sustentável foi-se alargando e interiorizando nas opiniões públicas e publicadas, e é particularmente sensível em zonas de transição entre a selva de betão e a paisagem classificada, como é o concelho de Sintra. Na época do automóvel, da cacofonia sonora e visual, da suburbanidade, a que prosaicamente chamamos áreas metropolitanas, Sintra fica “entalada" entre várias realidades, continuando a subsistir muitas tarefas urgentes e a faltar uma cultura de procedimento interiorizada e enraizada. Fraquezas continuam ainda por debelar, e de forma telegráfica deixaria aqui 10 das mais notórias, a saber:
1-A deficiência e semântica do planeamento, e dificuldade em levá-lo à prática, fora dos relatórios e powerpoints;
2-A continuada falta de solução para a questão da orla costeira e das arribas instáveis;
3-O conflito entre entidades, planos, e repartições disputando a gestão administrativa do território, na prática contribuindo para a ineficiência, em benefício do infractor;
4-A precária subsistência de corredores verdes, bem como a invasiva pressão da malha urbana na “fronteira” de Chão de Meninos/Ouressa, só não devassada dada a crise e abrandamento no sector do imobiliário;
5-A falta de meios para combater a introdução de espécies invasoras, não obstante algum trabalho levado a cabo pela Parques de Sintra-Monte da Lua, na sua zona de jurisdição;
6-A falta de acções de monitorização e de equipas fitossanitárias e florestais suficientes e devidamente apetrechadas;
7-A regularização das ribeiras com impermeabilização ou encanamento das linhas de água, tendo a errada política dos anos 90 levado a situações de difícil reparação, sobretudo nos núcleos urbanos;
8-A falta duma Carta do Ruído eficaz, e que tenha em conta as diversas realidades em presença;
9-A ainda insuficiente aderência à recolha selectiva de resíduos, produto de fraquezas na educação ambiental das populações;
10-A subsistência de depósitos selvagens de sucata e vazadouros, e a pouco eficaz repressão de tais práticas, com reflexo na paisagem e qualidade de vida.
Em Dia Mundial do Ambiente, alguns tópicos, que, a não serem resolvidos, podem vir a criar muito mau ambiente…


Sem comentários:

Enviar um comentário