Follow by Email

segunda-feira, 4 de março de 2013

João José de Aguiar, escultor de Belas


A escultura neoclássica em Portugal seguiu a grande corrente internacional. Inspirou-se nos modelos clássicos e desenvolveu uma grande simplicidade formal como reação aos dinâmicos modelos anteriores. Como a tradição católica era muito forte, o nu teve pouca utilização, por ser socialmente mal visto, recorrendo a roupas de inspiração clássica, por vezes rígidas, mas tentando seguir os cânones do estilo. Era serena, impessoal, mas devido à influência da tradição Rococó os vários artistas conservaram alguma linguagem pessoal.

O principal escultor foi, sem dúvida, João José de Aguiar. Nascido em 1769, em Belas, destacou-se nos estudos e foi enviado para Roma onde terminou a sua preparação no atelier de Canova. Esta oportunidade, de estudar com um dos maiores escultores do seu tempo, foi bem aproveitada e o resultado é visível na qualidade da sua obra. Executou, ainda em Itália, várias obras, das quais se destaca o monumento à rainha D. Maria I em 1797. A rainha é apresentada como uma figura romana, ladeada por quatro figuras femininas, cada uma representando um dos continentes por onde se estendia o império português. Com a morte de Machado de Castro, Aguiar ocupou o lugar deixado vago nas obras do Palácio Nacional da Ajuda, executando um conjunto de esculturas decorativas. Também são da sua autoria algumas obras em bronze destinadas ao altar-mor de Mafra. A sua principal realização é a escultura em corpo inteiro de D. João VI para o Hospital da Marinha realizada em 1823. Algumas obras:
Estátua de D.Maria I, Queluz
Estátua de D.João VI, Palácio da Ajuda
Uma das várias estátuas do Palácio da Ajuda

Um escultor com raízes em Sintra, e a todos os títulos, dela desconhecido.


Sem comentários:

Enviar um comentário