Follow by Email

domingo, 29 de maio de 2011

Estrangeiros em Sintra

A beleza e mistério de Sintra desencadeou a partir do final do séc XVIII uma busca por parte de estrangeiros atraídos por estas bandas, sobretudo os ingleses, e decorrente da relação próxima que Portugal teve com esse país depois da deslocação da corte para o Brasil.Uns viajantes (Byron,Lady Jackson,Ratazzi) outros moradores (Jane Lawrence,os Cook,Gildmeester) muitos foram os estrangeiros que adquiriram propriedades em Sintra, muitas de grande valor arquitectónico e simbólico.
A Quinta da Capela, por exemplo, alugada a Marc Zurcher, suiço, a Quinta da Palma, alugada por americanos, a Quinta da Madre de Deus, de Michael John Baker, a Quinta do Vinagre, em Colares, da família Schlumberger,a Quinta do Conde, também em Colares, de Tinsley.E ainda a Quinta de S.João, de Jaime Senfelt,a Quinta de S.Tiago, de Eduard Bradell, a Quinta do Bonjardim, (onde se jogou a primeira partida de futebol em Portugal), da família Empis.
Acrescente-se ainda a Quinta das Bochechas, da família Massetti, a Quinta do Alto Sereno, de Gerda Spitze, a Casa dos Pisões, de Julina Leacock, a Quinta da Boavista, do conde Frederico de Schonborn-Wiesentheid,a Quinta dos Moinhos Velhos, de Mrs Bosschaart, a Quinta de Penaferrim, de Richard Thomas,a Quinta do Monte Sereno, de Mark Berger, a Quinta do Arrabalde, do holandês Huits, a Quinta do Chão dos Arcos, de Roy Campbell.E outras, como a Quinta da Toca (Marie Gleischen), a Quinta de Santo António, em Almoçageme (Arthur Lanborn),a Quinta da Bemposta (Francoise Baudry),a Quinta Biester  (do americano Robert Bearsdley),a Quinta dos Lagos(que pertenceu ao ex-presidente do Brasil,Sarney) etc, tudo propriedades de famílias estrangeiras amantes de Portugal ou de seus herdeiros,no presente.
 Ainda Hotéis como o Lawrence e o Miramonte,em Colares pertenceram a estrangeiros,como do japonês Nishimura foi a Quinta da Regaleira até que a CMS a adquiriu.E muitos mais.Alguém sabe por exemplo que a actriz do cinema mudo Gloria Swanson,a de Sunset Boulevard (O Crepúsculo dos Deuses)teve uma casa na Praia Grande? E que Adrian, o filho de Sir Arthur Conan Doyle (o do Sherlock Holmes) passava férias em Sintra? Sem falar de Wim Wenders ou Roman Polanski, que por cá filmaram ("O Estado das Coisas" e "A Nona Porta", respectivamente, ou os U2 que tiveram a capa de um LP fotografada na discoteca Concha, na Praia das Maçãs.
                                    Os Cook, donos de Monserrate 

Emblemática dessa presença é talvez a família Cook, que durante anos morou em Monserrate.Francis Cook,rico empresário têxtil,desembarcou em Lisboa em 1841,e aqui se apaixonou e casou com Emily Martha,filha do comerciante Robert Lucas.Depois de alguns anos em Inglaterra, adquiriu Monserrate,e aqui se estabeleceu a partir da década de 60 de oitocentos.Em 1870 foi feito Visconde de Monserrate por D.Luís I.Adquirido o edifício,grandes obras se realizaram sob a orientação do arquitecto inglês James Knowles,e pouco ficou da traça de DeVisme.Mas as grandes mudanças foram ao nível dos jardins,começados por Sir Francis e o seu jardineiro Burt,importando espécies de todo o mundo que rivalizavam com os jardins de D.Fernando,na Pena, quer  no tempo de Sir Herbert,nos anos 20,com outro entendido,Walter Oates,que escreveu em 1929 um livro sobre os jardins de Monserrate,The Gardens Chronicle. A partir de 1928,o poderio dos Cook feneceu,e começou o período decadente.Em 1947,o filho de Sir Herbert,Sir Francis,bisneto do 1º visconde,vendeu a propriedade a um tal Saul Sáragga,o qual queria construir um empreendimento com 143 lotes(!)no local.Foi então que o Estado Português,avisado por Flávio Resende,director do Jardim Botânico de Lisboa ,adquiriu a propriedade,por cerca de nove mil contos.A partir daí,tudo se desvaneceu: o recheio vendido em leilão,e os jardins entregues aos Serviços Florestais.Até então,quatro gerações de Cook viveram e deixaram marcas no delicious Eden.

Sem comentários:

Enviar um comentário