Follow by Email

segunda-feira, 7 de outubro de 2019

Os 108 anos do Sport União Sintrense


São contraditórias e muito discutidas as datas da fundação do Sport União Sintrense mas certo é que dia 7 de Outubro de 1911 conforme dizem os estatutos, é a data adotada para as comemorações do seu nascimento.
Quanto à ideia de se criar um clube de Futebol em Sintra também não é consensual entre todos a iniciativa. Vejamos. Nas primeiras décadas do Séc. XX como sabem Portugal era uns pais empobrecido à beira da revolução, e é precisamente nessa época que o desporto começa pouco a pouco a dar os seus primeiros passos. As primeiras bolas de futebol ao que parece terão chegado a Portugal através de Guilherme Basto vindas de Inglaterra e também por sua iniciativa, tiveram lugar em Cascais e Lisboa entre 1888 e 1889, os primeiros contactos com a modalidade. Depressa se espalhou por entre todos esta nova modalidade que rapidamente ia conquistando praticantes de todas as idades e classes sociais.
O primeiro Clube que se conhece é o Lisbonense mas rapidamente foram constituídos outros clubes, como o Real Ginásio Club e a Casa Pia de Lisboa, que deram um impulso gigante ao futebol. Em Sintra, mais propriamente na Estefânia, o primeiro Clube a dar esses passos foi o Grupo Sport União Sintrense, criado por seis jovens entusiastas da modalidade que frequentavam a Escola Primária José Domingos Morais, no Bairro da Estefânia. Foram eles Jorge Gomes, Alfredo Duarte, Salvador de Almeida, Augusto Reis, João Veludo e Fernando Mata. Entre todos concordaram por unanimidade que fosse Augusto Reis o primeiro presidente do Sintrense.
O Sport União Sintrense na sua história oficial conta-nos que “Os primeiros contactos com o futebol em Sintra provavelmente dão-se através de um grupo de operários Lisboetas que vieram para Sintra para se ocuparem das obras de restauro do Palácio Real desta Vila em 1908. Nas suas horas de lazer, alguns destes operários entretinham-se a jogar à bola no terreiro fronteiro ao Palácio, o que concitou desde logo a admiração e o entusiasmo de alguns jovens Sintrenses que se trataram de os imitar, o que os levou a persistirem e começarem por sua vez a aprender os primeiros passos sobre este aliciante jogo. Os primeiros jogos começaram no Bairro da Estefânia, nos terrenos onde existia uma velha Praça de Touros, e que hoje são ocupados pelo Mercado Municipal. Os tais rapazes que frequentavam a Escola Primária volveram todas as suas atenções para os mais velhos que se exibiam diariamente com uma bola muito artesanal, mas que era para eles um autêntico fascínio. Mais firmes nas suas convicções e dispondo de mais tempo e maior espírito organizador, fundam o clube a que deram o nome de Sport União Sintrense, conseguindo apesar de a sua juventude ganhar com os anos, um grande espírito de grupo, que constituiu o primeiro triunfo para a consolidação da sua iniciativa”.
Durante esse tempo, a prática desportiva era suportada pelos próprios atletas, as chuteiras eram um luxo que nem todos podiam suportar, e muitas vezes jogava-se com botas de uso quotidiano. Para contornar esta situação, recorria-se a subscrições, sendo essa a única alternativa para a compra de material necessário.
À medida que que a estrutura do Clube se consolidava em Sintra iam aparecendo outros clubes na Estefânia na primeira década do Séc. XX nomeadamente os extintos- Morais Foot-Ball Club, Académico Foot-Ball Club e o New Cruzaders, Infantis Sintrenses que acabariam por se fundir ao Sport União Sintrense. Nos Anos 20, o Sintrense obtém o seu primeiro título ao disputar o Torneio de Futebol de Sintra ,ficando conhecido como o campeão de Sintra, logo se estabelecendo uma forte rivalidade bairrista entre a Estefânia, São Pedro e a Vila. Foram renhidos e entusiásticos os embates que se travaram no largo fronteiro do Palácio dos Seteais, que o Conde de Sucena, proprietário do dito Palácio, disponibilizou para que os clubes da vila de Sintra ali jogassem. É o chamado período do futebol "de balizas às costas", dado que os jogadores percorriam as ruas de Sintra, equipados e levavam consigo as balizas, arrastando consigo os adeptos que se divertiam e provocavam, por vezes com apupos e não poucas vezes em cenas de pancadaria na defesa das cores das suas equipas.
Em 1930 o Sport União Sintrense não tinha estatutos nem filiação associativa e não tinha consentimento legal para a prática desportiva. Pelas mãos de Veloso Lima, Humberto Costa, Manuel Macedo e Elísio Duarte sofreu uma remodelação total a nível organizativo, criando-se os primeiros estatutos e os corpos gerentes e obtendo autorização do Governo Civil de Lisboa. Nesse ano, o clube filia-se na Associação de Futebol de Lisboa com o nº 269. Foi nesta data que se modificaram as cores do equipamento, que era camisola vermelha e calção branco, para camisola vermelha com calção azul. Modificou-se também o emblema do Clube, adquiriu-se a primeira bandeira e elevou-se o grupo à categoria de Clube. Foi nesta altura, na tarde gloriosa de 5 de Outubro de 1930 que jogou com a 1ª categoria do Sport Lisboa e Benfica ,encontro que marcou a a inauguração do campo da Portela de Sintra.
Entretanto, o Sport União Sintrense ganhou maior estrutura e solidez como clube, modificando o seu parque de jogos e criando várias secções de diferentes modalidades. O ténis de mesa, o basquetebol, o voleibol, a ginástica, o judo, o xadrez e a pesca desportiva, são marcas de um ecletismo que se mantém. A pesca desportiva como secção no clube, conheceu momentos de grande relevo. Com efeito, o Sintrense foi o primeiro clube do país a ter uma representação de pesca desportiva. Deu brado a sua representação que desfilou, em 1944, única, na inauguração do Estádio Nacional, pela novidade e pelo impacto que causou, bem com os primeiros concursos de pesca desportiva levados a efeito no rio de Colares, a nível nacional.
Em 19 de Abril de 1944 foram aprovados novos estatutos para adaptar o clube as realidades jurídico-desportivas da época. A direcção era composta por sete membros efectivos: presidente, vice-presidente, secretário-geral, secretária adjunto, tesoureiro e dois vogais eleitos anualmente pela assembleia geral, e em 1946 foi criada a Comissão de Propaganda do Sport União Sintrense com vista a divulgação pública da entidade bem como angariação de fundos. Uma das primeiras iniciativas foi o primeiro Torneio Popular de Futebol no concelho de Sintra, que na final, teve a audiência de três mil pessoas de todos os pontos do concelho.
O futebol ganhou no clube grande notoriedade com a subida à almejada II Divisão Nacional, em 1964, conquistando no ano da sua estreia um honroso quinto lugar. (foto)

Com o aumento do profissionalismo no futebol e as suas consequentes exigências, o Sintrense não pôde acompanhar todo este movimento, quedando-se num patamar mais modesto, entre a II Divisão B e a III Divisão.
A 30 de Março de 1985 foi-lhe conferido o estatuto de utilidade pública.
De salientar uma faceta importante no seu historial que tem a ver com a instalação durante muitos anos de uma Escola Primária que funcionou na velha sede do clube durante muitos anos. 
Destaque entre os dirigentes históricos para Domingos Veloso Lima (a ele ficou a dever-se a legal constituição do clube, a aquisição da sede na rua Gomes Amorim e o campo da Portela em 1930) Manuel Soares Barreto, Barros Queirós (vitima do estado novo em 1942, o seu nome foi censurado para os órgãos sociais do clube). Mário Travassos Valdez, António Forjaz (em cujo mandato o clube sobe à segunda divisão nacional), António Manata, José Nunes, Fernando Ventura ou Adriano Filipe

Sem comentários:

Enviar um comentário