Follow by Email

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

O 28 de Maio de 1926 em Sintra




Em 28 de Maio de 1926, tropas e metralhadoras vindas de Mafra dirigiram-se para a Granja do Marquês, para a Escola de aviação, em apoio ao movimento, bem como para Sintra, assustando as populações, tendo alguns escapado para a Praia das Maçãs. As tropas da Escola de Aplicação de Infantaria, com os oficiais do Depósito de Remonta, marcharam sobre Sintra a reunir com a aviação, tendo o comandante das forças revoltosas de Sintra, coronel Oliveira Gomes feito uma proclamação em nome do movimento revolucionário que o general Gomes da Costa iniciara em Braga. Na Granja do Marquês juntaram-se 6 aviões Vicher’s e 1500 homens da Escola de aviação, do grupo de esquadrilhas da Amadora, Grupo de Metralhadoras Pesadas e da infantaria de Mafra. Quatrocentos marinheiros que os iam enfrentar em Mafra bateram em retirada. Entretanto, no dia 30, chegam a Sintra 250 praças vindas da Granja para se dirigirem ao posto de comando de Gomes da Costa na Amadora, pelo caminho juntaram-se mais 300 no Algueirão, comandados pelo tenente Pires da Silva. 
Triunfante o golpe, logo a Câmara de Sintra foi dissolvida, e substituída por uma Comissão Administrativa onde pontificava o capitão Craveiro Lopes, mais tarde Presidente da República, a censura prévia é introduzida e  Sintra alinhou num golpe que, se começou por juntar facções republicanas desavindas, terminou alguns anos depois na consolidação do Estado Novo por um professor de Coimbra.

Sem comentários:

Enviar um comentário