Follow by Email

quarta-feira, 15 de janeiro de 2020

Maria Germana Tânger, uma aristocrata da palavra


Se fosse viva, Maria Germana Tânger completaria cem anos amanhã, 16 de janeiro. Figura da vida literária e divulgadora da palavra dos grandes poetas, tendo conhecido e privado com autores como Almada Negreiros, Sophia de Mello Breyner ou José Régio, Maria Germana Tânger deixou-nos uma marca a que só interpretes como Vilarett, Sinde Filipe, Carmen Dolores ou Paulo Renato nos habituaram.
Como divulgadora de poesia ao longos de vários anos, percorreu o país com a Pró-Arte, acompanhada por vezes pelo seu amigo, o pianista Adriano Jordão.
Foi professora de dicção no Conservatório Nacional durante 25 anos, e teve vários programas na rádio e na televisão.
Também em Sintra deixou a sua marca, tendo dirigido diversos espetáculos no Festival de Sintra, e  colaborado também com o Chão de Oliva, entre outros grupos. Chegou, aliás, a morar na mesma casa onde ficou Hans Christian Andersen quando visitou Sintra em 1866.
Vivia em Lisboa quando morreu, a 22 de janeiro de 2018, aos 98 anos de idade.


Sem comentários:

Enviar um comentário