Follow by Email

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Sintra, o Turismo e o Portugal 2020


 


O sector do turismo tem muito partido a tirar dos 21 mil milhões de euros do novo quadro comunitário de apoio, desde que aposte na competitividade, internacionalização e promoção, sendo que mais de 40% dos fundos comunitários são destinados à competitividade e à internacionalização, duas vertentes em que o turismo está e deverá estar bastante presente.
Não basta olhar para os fundos apenas na vertente da construção de equipamentos hoteleiros, mas sim numa lógica de promoção das empresas e dos destinos, com produtos novos, e uma maior rentabilização das vantagens competitivas de cada região. Há pois que alinhar estratégias e financiamento, instrumentos de política pública para o desenvolvimento do turismo e os Programas Operacionais do Acordo de Parceria 2014-2020, contribuindo para uma maior selectividade e articulação de investimentos, tendo em vista uma maior eficácia na aplicação dos fundos comunitários no desenvolvimento do turismo, num quadro que potencie redes e plataformas tendentes à valorização económica do turismo.
Sintra é um dos concelhos onde a actividade turística é central como actividade económica geradora de emprego, beneficiando da sua classificação como Paisagem Cultural da Humanidade, e de um conjunto de factores virtuosos onde se associam paisagem, História, gastronomia, praias e proximidade aos grandes centros urbanos e a um aeroporto internacional.
Em 2014 aqui se realizou o 49º Festival de Música de Sintra, eventos como a Feira Quinhentista, os Arabian Days e a Feira Setecentista, as Jornadas Europeias do Património, o XVI Congresso Ibero-Americano de Urbanismo, o Festival de Estátuas Vivas de Sintra ou o European Le Mans Series, 4 horas do Estoril. Entre as acções de promoção realizadas destaque para a habitual participação na BTL e a promoção do programa Active Sintra, dedicado ao turismo de aventura, a Promoção city & short breaks, e distinções para unidades hoteleiras de Sintra no âmbito da TripAdvisor Travellers Choice Awards 2014, a distinção de quatro monumentos de Sintra na categoria de “10 Principais Atracções em Portugal”, a distinção do destino Sintra no top das “10 Breathtaking Town in Europe you’ve probably never heard of”, a distinção do Festival de Sintra nos “10 Best Advice for Travelers”, um site associado ao jornal diário USA Today, e prémios para dois vinhos de Colares: o Casal Sta. Maria Sauvignon Blanc 2012, com a medalha internacional de prata no ”Concours mondial du Sauvignon 2014” e o Casal Sta. Maria Arinto 2013, com a medalha de prata no “Concurso de vinhos de Portugal 2014”. Quatro praias do concelho de Sintra foram distinguidas pela Quercus devido à excelência da qualidade das águas, e a European Best Destinations distinguiu Sintra com o 1º lugar na categoria “Castelos Mais Bonitos da Europa” e 4º lugar na categoria “Melhores Tesouros Escondidos da Europa“. Sem ser já novidade, Monserrate foi distinguido como melhor jardim histórico do mundo e a Parques de Sintra como melhor empresa de conservação de jardins históricos.
Em 2014 dispúnhamos de 1691 camas de alojamento tradicional, 78 no espaço rural e de habitação, 723 no campo da hospedagem, 502 em alojamentos locais e 166 em apartamentos, registando os nossos postos de Turismo até ao terceiro trimestre de 2014 221.857 visitantes. O Palácio da Pena, superando largamente o milhão de visitantes, foi o segundo monumento mais visitado do país.
Manter em qualidade e crescer em quantidade deve ser uma opção estratégica, sendo que os mercados europeus, o brasileiro e os asiáticos são referenciais. A nossa costa é excelente para a prática de desportos radicais, tendo o bodyboard já criado raízes e hábitos no mapa de eventos, captando um nicho de visitantes importante e animação nas nossas praias e zonas balneares, tudo se procurando fazer para trazer outros eventos, e que se possam distribuir ao longo do ano, dinamizando as zonas balneares na chamada “época baixa”, e com benefícios para o comércio local e os alojamentos hoteleiros. Também o segmento do golfe tem grandes potencialidades de expansão, cabendo aqui um papel fundamental aos operadores turísticos e às associações do sector. Destaque para a qualidade de campos como os da Penha Longa, Belas Clube de Campo ou da Beloura, com provas dadas e número de eventos ao longo do ano.
Sintra é uma região bastante heterogénea como destino turístico, seja no plano cultural, balnear ou artístico, estando a surgir novas centralidades em espaços menos usados, como a Quinta da Ribafria, o antigo Museu do Brinquedo, futuro Museu das Notícias, a abrir em Março do ano que vem, o Centro Interactivo Mitos e Lendas, que abrirá no dia 31 de Julho no antigo Turismo, e o Centro Cultural Kobayashi, a abrir em 2016.
Também no sector vinícola há potencialidades a explorar. Colares é região demarcada desde 1908 e as características únicas dos seus vinhos devem-se à combinação de castas, solo e clima temperado e húmido no Verão, mas principalmente ao facto da vinha ser plantada em "chão de areia". O vinho de Colares não é produzido numa área muito extensa, pelo que a sua produção é limitada, mas tem vindo a obter bons resultados no mercado exportador, assim procurando nós que se mantenha, bem como a denominação de origem e o prestígio que lhe está associado.
 
A gestão da orla costeira é uma área onde a Câmara se tem de articular com diversas entidades da Administração Central. A conjugação mágica de uma serra inebriante com um litoral de praias atlânticas e límpidas, a sensação inesperada de tanto se poder sentir na Baviera ou na floresta tropical, associado a um intenso festival dos sentidos para percorrer demoradamente, fazem de Sintra, como escreveu Vergílio Ferreira, “ o único lugar do país onde a História se fez Jardim.”
No contexto das visitas tendo por destino Lisboa- e agora alargadas com o aumento dos barcos de cruzeiro e a instalação de companhias aéreas low cost no aeroporto de Lisboa-, Sintra tem visto aumentar o número de visitantes, o que, sendo uma boa notícia, deve ser aprofundado no sentido de convencer os operadores e visitantes de que tal período não é minimamente suficiente para apreender e usufruir de tudo o que Sintra tem para oferecer. O aumento do número de visitantes, num ano que assinala os 20 anos da elevação de Sintra a Património da Humanidade na categoria de Paisagem Cultural e a permanência de visitantes por períodos superiores a um dia, bem como a complementaridade de oferta, não só ao nível patrimonial, mas da frequência de espectáculos e eventos, são realidades que merecem acompanhamento e investimentos sólidos e sustentáveis, bem elaborados, com branding e planos de negócios assentes em estudos aturados. Para tanto, não se pode desperdiçar a oportunidade que o Portugal 2020 oferece nos seus diversos programas, devendo pois todos os operadores do sector apresentarem projectos e apostarem na criação de Futuro, assim virando a página do crescimento anémico dos últimos anos, mas que na área turística felizmente se não fez sentir tão gravosamente. Não há galinhas de ovos de ouro, mas há que aproveitar os ovos para fazer as melhores omeletas.

Sem comentários:

Enviar um comentário